Mulheres de Atenas & Mulheres de Hoje

O objetivo desta atividade é fazer uma análise sobre o papel da mulher na Grécia Antiga, mais especificamente, na cidade-estado de Atenas, à luz da música Mulheres de Atenas, de Chico Buarque e Augusto Boal  e compará-lo com a da mulher moderna.

1.  Áudio e Letra:

 Ouça a música [1]:

Agora, veja a letra:  Mulheres de Atenas [2]:

Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Vivem pros seus maridos
Orgulho e raça de Atenas

Quando amadas, se perfumam
Se banham com leite, se arrumam
Suas melenas
Quando fustigadas não choram
Se ajoelham, pedem imploram
Mais duras penas; cadenas

Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Sofrem pros seus maridos
Poder e força de Atenas

Quando eles embarcam soldados
Elas tecem longos bordados
Mil quarentenas
E quando eles voltam, sedentos
Querem arrancar, violentos
Carícias plenas, obscenas

Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Despem-se pros maridos
Bravos guerreiros de Atenas

Quando eles se entopem de vinho
Costumam buscar um carinho
De outras falenas
Mas no fim da noite, aos pedaços
Quase sempre voltam pros braços
De suas pequenas, Helenas

Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas:
Geram pros seus maridos,
Os novos filhos de Atenas.

Elas não têm gosto ou vontade,
Nem defeito, nem qualidade;
Têm medo apenas.
Não tem sonhos, só tem presságios.
O seu homem, mares, naufrágios…
Lindas sirenas, morenas.

Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Temem por seus maridos
Heróis e amantes de Atenas

As jovens viúvas marcadas
E as gestantes abandonadas
Não fazem cenas
Vestem-se de negro, se encolhem
Se conformam e se recolhem
Às suas novenas
Serenas

Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Secam por seus maridos
Orgulho e raça de Atenas

2.  Algumas expressões e seus significados [3]:

Mirem-se1 no exemplo / Daquelas mulheres de Atenas / Vivem pros seus maridos / Orgulho e raça de Atenas / Quando amadas, se perfumam / Se banham com leite, se arrumam / Suas melenas2 / Quando fustigadas3 não choram / Se ajoelham, pedem imploram / Mais duras penas, cadenas4

Mirem-se no exemplo / Daquelas mulheres de Atenas / Sofrem pros seus maridos / Poder e força de Atenas / Quando eles embarcam soldados / Elas tecem longos bordados / Milquarentenas5 / E quando eles voltam, sedentos / Querem arrancar, violentos / Carícias plenas, obscenas

Mirem-se no exemplo / Daquelas mulheres de Atenas / Despem-se pros maridos / Bravos guerreiros de Atenas / Quando eles se entopem de vinho / Costumam buscar um carinho / De outras falenas6 / Mas no fim da noite, aos pedaços / Quase sempre voltam pros braços / De suas pequenas, Helenas7

Mirem-se no exemplo / Daquelas mulheres de Atenas: / Geram pros seus maridos, / Os novos filhos de Atenas. 8 / Elas não têm gosto ou vontade, / Nem defeito, nem qualidade; / Têm medo apenas. / Não tem sonhos, só tem presságios. 9 / O seu homem, mares, naufrágios… / Lindas sirenas 10, morenas.

Mirem-se no exemplo / Daquelas mulheres de Atenas / Temem por seus maridos / Heróis e amantes de Atenas / As jovens viúvas marcadas / E as gestantes abandonadas / Não fazem cenas / Vestem-se de negro, se encolhem/ Se conformam e se recolhem / Às suasnovenas11 / Serenas12

Mirem-se no exemplo / Daquelas mulheres de Atenas / Secam13 por seus maridos / Orgulho e raça de Atenas

Significados das palavras:

Mirem-se: de mirar, observar, tirar exemplos ou lições…

Melenas: cabelos compridos.

Fustigadas: castigadas, açoitadas com varas.

Cadenas: entrelaçamentos dos pares danças; com jeito.

Quarentenas: período longo, de quarenta dias.

Falenas: borboletas que atacam e comem toda sorte de arvores e plantas.

Helenas: filhas do deus Heleno; o mesmo que gregas.

Filhos de Atenas: os verdadeiros cidadãos atenienses.

Presságios: (bons ou maus) pressentimentos; prognósticos.

10 Sirenas: o mesmo que sereias.

11 Novenas: atos religiosos (orações) que duram 9 dias consecutivos.

12 Serenas: calmas, sossegadas, tranquilas.

13 Secam: prosseguem, importunam, perseguem (positivamente).

3. Análise:

Como já vimos, no resumo Grécia Antiga, na cidade-estado de Atenas a democracia estava restrita a uma pequena parcela da população. Apenas homens livres adultos eram considerados cidadãos. Excluíam-se, portanto, deste processo, a participação demulheres, crianças, escravos e estrangeiros.

Num estudo sobre A mulher da Grécia Antiga e possíveis aspectos da cultura grega na contemporaneidade [4], Daniel Frias (autor do texto) nos ajuda a entender o papel da mulher na Grécia Antiga, sobretudo, comparando a mulher espartana (mais livre) com a mulher ateniense (mais submissa), objeto de estudo da música de Chico Buarque e Augusto Boal.

Segundo ele, as mulheres “… não eram consideradas cidadãs e, do mesmo modo, ocupavam uma posição de inferioridade social em relação aos indivíduos do sexo masculino. Destarte, tal relação de desigualdade corroboraria, por atribuir às mulheres, atividades direcionadas, em geral, às tarefas domiciliares e à procriação, isto é, o ambiente ‘natural’ delas estava circunscrito ao lar, educando e gerando os filhos de seus maridos, sendo que, assim, elas deveriam ser subservientes aos seus cônjuges e lhe prestar total fidelidade” [5].

Enquanto as mulheres de Atenas eram subservientes, ‘vivendo pros seus maridos’, as de Esparta desfrutavam-se de maiores ‘regalias’, visto que estas gozavam de maior participação política, maior liberdade para a prática de atividades físicas e maior gerenciamento das terras na ausência de seus maridos.

No caso de casamento, as mulheres atenienses eram proibidas de conviver com outros homens que não fossem seus parentes. Além disso, o matrimônio (na Grécia antiga, em geral) era decidido e arranjado pelos pais das mulheres, as quais se casavam cedo, em sua puberdade.

No decorrer dos tempos, como as ações humanas não são estáticas, o papel da mulher também foi mudando. É o que se percebe no contexto atual, “… a mulher recebeu uma autonomia substancial relativa ao trabalho, à organização política e social, à estrutura familiar e em diversas áreas no que se refere à ética e a moral que concebemos hoje (…) Ela transcendeu de fato a condição de uma simples incubadora humana e criada para exercer uma função mais ativa na sociedade a qual vivemos. Assim, a mulher contemporânea contrapõe-se, em vários aspectos, à mulher idealizada na Grécia antiga, que era subjugada por sua incapacidade intelectual, física e de ‘não-virtuosidade’ em comparação aos homens deste período histórico” [6].

Mas qual o papel da mulher moderna na sociedade?

Na visão dos sociólogos, dentre eles, Paulo Silvino Ribeiro [7], considerando as atividades e as relações do indivíduo em grupo, a mulher do século XX (e XXI), passou por uma guinada em seu papel social, não apenas nas relações de trabalhos em si, mas fundamentalmente nas relações sociais com os homens de maneira em geral. Isto significa que mudanças no papel da mulher requerem mudanças no papel do homem, o qual passa por uma crise de identidade ao ter de dividir um espaço no qual outrora reinava absoluto.

Segundo o autor, podemos observar as mudanças do papel das mulheres em alguns aspectos como:

  • Maior grau de escolaridade, aliado à diminuição das taxas de natalidade.
  • Casamento com idades mais avançadas.
  • Maior expectativa de vida.
  • Maior posição de comando (lar, universidade, empresa, governo municipal, estadual e até federal, caso de nossa presidenta etc.).
  • Desempenho de funções profissionais que outrora eram apenas do homem.
  • Novas liberdades, possibilidades e responsabilidades.
  • Senso crítico mais desenvolvido.

Contudo, apesar dos avanços, considera Ribeiro, a mulher ainda não está no patamar que merece: salário mais baixo do que o do homem, discriminação de gênero, acúmulo de tarefas…

Concluindo, podemos afirmar que as colaborações dos analistas acima, nos fornecem alguns dados para refletirmos sobre o papel da mulher da antiguidade (como a mulher ateniense), mas também nos dias atuais.

Veja mais comentários sobre o assunto, no texto de Vicência Jaguaribe, Mulheres de Atenas, nós?. Neste texto a autora faz comentários sobre publicações da Editora Abril elogiando as mulheres, e dá seu parecer sobre o assunto…

 

Notas:

[1] ÁUDIO: Adaptação de M. Teresa Soares. In: §  http://www.youtube.com/watch?v=MabbVn0Rlv4. Acesso em 26/05/2013.

[2] LETRA: in: http://letras.mus.br/chico-buarque/45150/. Acesso em 26/05/2013.

[3] Adaptação de DICIONÁRIO MICHAELIS. In: §  http://michaelis.uol.com.br/moderno/portugues/index.php?lingua=portugues-portugues&palavra=mirar. Acesso em 26/05/2013.

[4] Adaptação de: §  FRIAS, Daniel. A mulher da Grécia Antiga e possíveis aspectos da cultura grega na contemporaneidade. In: http://achronus.blogspot.com.br/2010/12/mulher-da-grecia-antiga-e-aspectos-da.html?showComment=1369585323959#c5163677972139198279. Acesso em 28/05/2013.

[5] Idem.

[6] Idem.

[7] Adaptação de: §  RIBEIRO, Silvino. Ribeiro. O papel da mulher na sociedade. In: http://www.brasilescola.com/sociologia/o-papel-mulher-na-sociedade.htm. Acesso em 28/05/2013.

Esta entrada foi publicada em História e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.